18 de dezembro de 2013

Sexo Frágil ?

Quantas barbaridades precisamos ainda ouvir dos homens, e suas teorias sobre as mulheres?
Será mesmo que eles acreditam que as mulheres são o sexo frágil?
Não dá para imaginar um homem fazer o que uma mulher faz. Agir de forma dinâmica e acertada, pensar, dirigir, conduzir a vida, a carreira, a família e tudo mais.
Somos naturalmente administradoras, da nossa vida e da vida dos que nos cercam. E os homens sabem disso.
Os homens esqueceram ou não aprenderam que nascemos iguais, somente na 7ª semana de gestação os órgão sexuais se definem, com base em vários fatores.


As mulheres se diferenciam dos homens, quando criança elas andam primeiro, falam primeiro, desenvolvem melhor a coordenação motora fina (ligada a movimentos como segurar o lápis, escrever). A escala de crescimento das meninas é mais rápida e muito mais intelectual.
Um estudo realizado pela universidade de Tel Aviv, em Israel, desbanca a ideia de que as mulheres são o sexo frágil. Depois de acompanhar 66 mil nascimentos, o estudo concluiu que o parto de meninos tem mais chances de ter complicações e que os bebês do sexo masculino têm mais doenças no período neonatal do que as meninas. O estudo também relata por que os homens têm uma expectativa de vida menor que as mulheres.

Para muitas religiosos o homem tem mais importância que a mulher, assistimos pelo mundo cenas de abandono e humilhação sofridas pelas mulheres.

Voltando na história, podemos recordar que vivíamos em uma sociedade maternalista, onde a família era voltada para mulher. Os homens acreditavam que nós eramos deusas, não entendiam o por que as mulheres sangravam dias e não morriam. e aquele sangue era tão abençoado. Eles pediam que durante o fluxo as mulheres da aldeia caminhassem nos campos destinados ao plantio. Porque tudo ali germinava melhor.
A virgindade não era uma prêmio, uma condição de casamento.
Hoje vivemos em uma sociedade paternalista. O homem é o centro da família.
As decisões de guerra, bomba, massacre estão sempre ligadas a figura masculina. Essa é a geração do poder, da corrupção e do abandono social e espiritual.
Os homens conduzem o mundo a séculos e tudo parece estar no fim. Em total desequilíbrio e em plena inverdade e injustiça. Porque ainda somos submissas e omissas a nossa condição de mulher?

Há alguns pesquisadores que defendem a soberania feminina, sob vários aspectos sociais. Inclusive ao fato de nascer mais mulheres que homens no mundo.

Os homens temem as mulheres, ainda somos Deusas. Essa é a principal razão por sermos tão subjugadas. O medo. Eles conhecem a capacidade que a mulher tem em obter sucesso em tudo que faz. Em ser capaz de conduzir e solucionar problemas com mais facilidade. Em levar a paz.
Não há fogueira para queimar, mas a violência ainda insiste em desafiar nossa capacidade de perdoar.

A mulher é muito mais que o seu corpo, o seu sexo e o seu ventre. A mulher é o coração inteligente da sociedade. O mundo tem vivido apenas da metade dos homens, que subjuga domina e perverte os valores do feminino que também são deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário