27 de outubro de 2014

Como Não Perder essa Mulher

Pessoal esse filme, é uma comédia nada romântica. Esta mais pra pastelão. Mas acredite, gostei. O elenco é ótimo, o ator é tarado e super viciado em pornografia. Ele lida com o tema de forma doentia. O filme conta a história, engraçada e bem natural. Vale conferir. Tenho certeza que existem vários caras assim por aí. Mas pra tudo tem cura.

O Oceano no Fim do caminho

Nunca antes li nada deste autor, me surpreendi com sua doce forma de escrita. Muitas vezes me emocionei com a história deste garotinho. Principalmente sobre a forma de como ele vê o mundo.
Recomendo a leitura, vale apena se arriscar sim, com novos autores. Amei essa frase do livro.
"Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro. Nem você. Nem eu. As pessoas são muito mais complicadas que isto. É assim com todo mundo".

A Parábola da Vaquinha

Há alguns anos atrás, participei de workshop, e o palestrante usou essa parábola para ilustrar sua tese. Nunca esqueci da história, sempre que tenho oportunidade gosto de compartilhar. Ontem com a enorme decepção que sofremos, acredito que possa fazer com que refletimos sobre as reais necessidades do povo brasileiro.
Algumas vezes precisamos perder o que temos, para batalhar e ver que é possível, sair da nossa zona de conforto e melhorar cada vez mais. Existem aqueles que sobrevivem, simples assim. Há outros que constroem. De que lado você está?

Vamos refletir.
Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, 3 filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada, com fome e sede. O sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.
- O senhor vê aquela vaca? - disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.

15 de outubro de 2014

O Jovem Arqueiro

Havia no alto das montanhas da China, um grande mestre na arte do arco e flecha que por muitos anos ensinava seus discípulos a manejarem o arco como arte, maestria e meditação.
Já havia ensinados a muitos alunos, quando um príncipe de uma grande família da região do norte do país resolveu ir até ele para se aperfeiçoar na arte do arco e flecha.
Era uma rapaz forte, de opinião forte, e não aceitava qualquer ensinamento sem que tivesse uma boa explicação.
O mestre muito paciente lhe ensinou várias técnicas e o rapaz era realmente perseverante e treinava intensamente, sem descanso.
Seus amigos ficavam espantados, pois o príncipe rapidamente se tornou o aluno mais preciso e o mais aguçado na arte da mira e na precisão da flecha. Era de pouco conversa e sempre estava treinando dia  e noite...

2 de outubro de 2014

Mudança de Hábito

Estamos frequentemente usando frases prontas, e as repetindo como se fosse um mantra. Coisas que ouvimos de nossos avós, ou de nossos pais. Não são sempre, de cunho negativo, embora a grande maioria. Algumas bem famosas.
"Só ganha dinheiro quem cedo madruga"
"Dinheiro não dá em árvore"
"Tenho medo disso..."
"Tinha certeza que isso não daria certo"
"Não tenho sorte"
"Não consigo"
"Estou sempre na luta"