7 de agosto de 2014

Perdão



Perdoar é divino é sublime. Mas será que o perdão cabe em nós? Estamos prontos para perdoar? Prontos para virar a página e deixar ir?
Na Bíblia encontramos várias citações sobre o perdão, a que mais gosto é: "Por quê fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?.. Marcos 2:7-11.

Perdoar é dar o direito de cada um ser como é, aceitar que você não pode modificar o outro. O meu dever é modificar o meu ser, sempre para melhor.
Se o outro é caluniador, não posso me permitir ser igual a ele, não devolvo o mal com mal, e sim com o bem. Jamais se permita ser igual a ele. Se guardar magoa ele esta te manipulando. Uma vez que você é a pessoa saudável, não pode dar ao caluniador mais poder que ele tem, nem a menor importância  sobre minha raiva.
Nós seres humanos, estamos em diferentes níveis de evolução, por essa razão devemos aceitar o outro. Se você se achar ofendida, a sua situação é simpática, se você se sentir caluniada, ele sabe que é mentira, e que te caluniou. Se for traída, ele sabe que é seu algoz. Então o problema é da consciência dele e não da sua. Não devemos ficar cultivando animosidade, e sim perdoar. Não seja dominado pelo ódio, odiando também.


Esquecer e perdoar, são coisas bem diferentes. Não devolver o mal, depende de mim, esquecer depende da minha memória. Quantas coisas queremos esquecer, e não conseguimos. Muitas vezes, durante nossa vida, causamos o mal, e sentimos remorso por isso, não conseguimos esquecer, esse mal causa uma cicatriz, necessária para o nosso aprendizado. Todas as vezes que a sentimos, lembramos que devemos ser melhores.

O perdão é não devolver o mal, tenha raiva, mas não a conserve. Somos animais, e tal qual, a raiva é fisiológica, sempre reagimos, é da natureza, ninguém oferece a outra face. Mas conservar a mágoa é da sua vontade. Por mais prazeroso que seja ser o coitado, quando o outro vai embora, fica só o lixo, intoxicando sua alma. O racional é se libertar de tudo que nos perturba. Somos inteligentes e possuímos os mecanismos de libertação.

Afinal a pessoa saudável não faz o mal consciente. Mas quando está de mal consigo, agride o outro. Então seja gentil com você, honesto. Está com raiva, admita. Estou magoado, etc. Reprimir esses ressentimentos vai ficar lhe consumindo. Digira sua raiva, seus ressentimentos, suas magoas.
Deixe-as ir embora da sua vida.
Seja gentil com você. Ame-se. Não permita que ninguém torne sua vida insuportável, nem para você, nem para os outros.

Buda dizia que a vingança é uma pedra incandescente que seguramos na mão, mas que antes de atingir o inimigo, nos queima.
Perdoar é dizer adeus ao sofrimento.
Perdoar é desistir de sentir raiva.

Um comentário: