6 de fevereiro de 2015

Mulher Malabarista



O dia mal começou e já estou conferindo a agenda. E exemplo de ontem e dos outros dias, tenho mais compromissos que espaço para as anotações.
Por um segundo, meus pensamentos viajam.
O que estou fazendo?
Será que vai dar tempo?
E aquele relatório mensal inacabado?
As entrevista?
Nossa esqueci o lanche.
Será que consigo horário na manicure?
Chega!!!
Volto para a realidade, olho para a mesa cheia  de coisas a espera de soluções. Meu celular não para, parece hospital. Tenho certeza que só terei paz no final do dia, a inquietação de dar solução, não me abandona. Acho que sou mais comprometida com os deveres, que comigo.
Preciso conseguir 15 minutos para postar no blog, a ideia de compartilhar, me alegra.
O dia transcorre como esperado. E as 22 horas termina. Respiro, agora sou EU. Desejo mais que tudo atender minhas próprias necessidades. O cansaço dá lugar ao sono. E adormeço imaginando como em alguns momentos gostaria de ser "mulherzinha", reduzir meus horários, me dedicar a casa, ter um tempo para o cinema a tarde, fazer um tour pelo shopping, especialmente nas liquidações, entregar minhas contas a alguém que pague. Passou, logo lembrei que isso não seria prazeroso por muito tempo.



Definitivamente mulheres malabaristas são livres. Algumas mulheres se adaptam a essa rotina, e são realizadas e felizes, eu com certeza não. Difícil dizer, que seja pela necessidade de sentir-se importante, ou simplesmente satisfazer o ego.
Essas mulheres geralmente são independentes, e encontram paixões e novos projetos com muita facilidade, não existe monotonia. Superar desafios e fechar os olhos no final do dia com a sensação do dever cumprido.

As mulheres por natureza são construtoras, são educadoras e trabalhadoras, e com toda essa jornada ainda consegue tempo para estar linda, cheirosa e disponível para o sexo. Aliás, o corpo está, mas a mente precisa de um tempinho, para arquivar mentalmente os pensamentos, que não abandonam uma cabeça tão pensante. Mas vamos lá, a necessidade do orgasmo é grande, quase primitiva, somos o tipo de mulher acelerada e o sexo coloca as emoções no lugar, mas não serve qualquer, precisamos encontrar no final do dia uma mão carinhosa, um abraço acolhedor e com sorte ouvir no pé do ouvido, que você continua linda.
Pronto, já estamos preparadas para um novo dia.
Quem sabe na próxima encarnação, eu possa descobrir outros prazeres em ser uma mulher diferente da que sou. Mas por hoje estou feliz de ser uma malabarista, como todas que conheço e admiro, e principalmente me inspiram. Parabéns tenho certeza que você chegará lá, onde você planeja estar. Sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário