17 de julho de 2014

A Formiga e a Cigarra

" Num dia quente de verão, uma alegre cigarra estava a cantar e tocar o seu violão, como todo o entusiasmo. Ela viu uma formiga a passar, concentrada na sua grande labuta diária que consistia em guardar comida para o inverno.
"Dona Formiga, venha e cante comigo, em vez de trabalhar tão arduamente", desafiou a cigarra "vamos nos divertir."
"Tenho que guardar comida para o inverno", respondeu a formiga, sem parar, "e aconselho-a a fazer o mesmo."
"Não se preocupe com o inverno, está ainda muito longe." Disse a outra, despreocupada. "Como vê, comida não falta."


Mas a formiga não quis ouvir e continuou a sua labuta. Os meses passaram e o tempo arrefeceu cada vez mais, até que toda a natureza em redor ficou coberta com um espesso manto branco de neve.
Chegou o inverno. A Cigarra, esfomeada e congelada, foi a casa da formiga e implorou humildemente por algo para comer.
"Se você tivesse ouvido o meu conselho no verão, não estaria tão desesperada." ralhou a formiga. "Preferiu cantar e tocar violão?! Pois agora dance!"
E dizendo isto, fechou a porta, deixando a cigarra entregue à sua sorte."

Acho que todos conhecem essa fábula, e também sua moral. Contudo no nosso lindo país, podemos encontrar varias formigas e muitas outras cigarras.
Ouvi uma vez em uma palesta, uma comparação, entre a Cigarra comunista e a Formiga democrata. Tudo para ilustrar sobre a necessidade da população com continuar trabalhando pelo mundo, pensando nas futuras gerações, e principalmente chamando nossa atenção para as questões sociais, como aposentadoria.

Eu sempre acreditei, que o Brasileiro tinha uma fama de trabalhador pelo mundo afora, mas de uns tempos pra cá, observo que essa percepção mudou. Estamos mais para Cigarra do que Formiga.
O Brasil investe boa parte do seu PIB em assistencialismo, e defende que hoje o Brasileiro não passa fome. Isso é meia verdade, os grandes estudiosos do mundo, acreditam que o assistencialismo deve ser um recurso momentâneo e seguido de capacitação, traduzindo "ensine o povo a pescar".
Na imagem do Brasileiro pelo mundo e mesmo do Brasil, fala de festa, carnaval, mulher e praias. Enquanto nossos vizinhos, como Chile investe em educação, nós investimos em Copa. Tudo isso são questões culturais, passadas de pai para filho. O famoso jeitinho brasileiro. O mesmo que ouve sobre corrupção acha um absurdo, mas se tivesse oportunidade faria o mesmo. Esse é com certeza o falso moralista e não verdadeiro cidadão.
É revoltante saber, que nos trabalhadores, pagamos essa conta, cada vez mais sufocados pelo governo, que deseja dividir suas despesas com quem paga imposto, ao invés de capacitar mais pagadores. Estamos vivendo em cima de uma bomba, é a corrupção, a ignorância, a preguiça, logo tudo vai explodir e voltaremos aquela época, em que o nosso dinheiro não valia nada. Será que assim a população acorda? Ou a vaca vai precisar ficar sem leite definitivamente?
Acorda Brasil, a copa já acabou, o mundo está ganhando dinheiro e crescendo, enquanto nós já estamos esperando o próximo carnaval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário