23 de abril de 2015

Desapego




Para abandonar o passado, ajeitar as coisas, desapegar-se, é preciso muita força de  vontade e coragem. Dar fim ao que hoje é importante, mas nos causa mal é um exercício de humildade. O apego destrói a alma, abre feridas, rompe o seu campo de proteção. A mentira tem o mesmo efeito na nossa alma, nos deixa suscetível aos espíritos com vibrações baixas.

Limpe as gavetas, doe as roupas que não usa mais, não acumule objetos. Observe que enquanto você estiver praticando o desapego, suas ideias clareiam, esse exercício é poderoso. Quando você organiza sua casa, seu trabalho, seus pertences, automaticamente organiza sua vida, seus planos. Aprende a ficar somente com o que interesse, com o que ti faz feliz.

Não viva um vida de mentira, de aparência, de apego, existe em cada um de nós um compromisso fiel de ser feliz. Nada tem a ver com dinheiro, status ou casamento de fachada. É você com você.
Quando meus pais se separaram após 25 anos de casados, eu pensava: "nossa já ficaram juntos tanto tempo, criaram os filhos, tem seus netos, porque não viver até o fim". Hoje consigo perceber que meu pensamento foi egoísta, eu só pensei no que era conveniente para minha família, quando na verdade o que realmente importava eram duas pessoas, não mais felizes, dispostas a recomeçar. Eu não conseguia perceber quão corajosos eles precisariam ser para desapegar-se um do outro.

No nosso dia a dia, estamos em constante contanto com pessoas dispostas a recomeçar, outras presas ao passado. Alguns com feridas demais, para entender que devemos e podemos deixar ir tudo que não nos faz feliz. Que nunca é tarde.
Eu convido você a fazer esse exercício  de limpeza, de reflexão e principalmente de desapego. Procure lá no fundo do armário, naquela gaveta escondida, sempre há algo para deixar ir.
Somos abençoados por ter tempo, para observar com podemos mudar de opinião, de vida e criar novos pensamentos. O amor nunca acaba ele simplesmente se transforma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário